sexta-feira, maio 04, 2007

Hubble

O Telescópio Espacial Hubble foi lançado no dia 25 de Abril de 1990.

A NASA prevê a sua substituição pelo James Webb Space Telescop,
com ano de lançamento em 2013.
Aqui ficam algumas imagens só para Vocês ...




Esta é a galáxia NGC 5886 classificada como galáxia S0 (S-Zero)
dada a sua forma de disco. A linha a negro que atravessa a meio a
galáxia é poeira espacial. Esta forma peculiar é devido a uma possível aproximação
com outra galáxia que causou este distúrbio gravitacional.



Nunca visto até hoje, a lua gelada de Urano denominada de Ariel. Podem
ver também a sua sombra projectada no planeta. Se estivessemos em Urano
veriamos este acontecimento como um eclipse solar.



Aqui fica uma estrela nos seus últimos momentos.
Sim, também as estrelas têm um fim. Após uma contracção,
a estrela explode enviando os seus níveis gasosos para o espaço.
Será assim que o nosso Sol ficará daqui a 5 Biliões de anos.
Não fiquem preocupados ... entretanto encontraremos uma solução.



Temos em seguida a SuperNova 1987A foto tirada em Dezembro de 2006.
Aqui temos mais uma explosão estelar que durará 400 anos segundo a NASA.
O anel de luz que dista de nós 1 ano-luz, é constituído por Titânio 44. Os pontos
luminosos que vemos em cima e em baixo são as estrelas da Nuvem da Grande Magalhães,
relativamente perto de nós , 163000 anos luz.



Tal como a Terra, Júpiter também tem as suas estações de luz. A área quadrada são imagens
ultravioletas das emissões da aurea de Júpiter que é 100 vezes mais brilhante que a da
aurora boreal terrestre.



Agora é altura de regressar à Terra.


6 Comments:

Blogger Teresa Durães said...

as estrelas explodem ou implodem.

Crescem, amadurecem e morrem. O que vimos são "um eco do passado" - esta frase não é minha mas de Carlos Sagan, se não estou em erro.

Quando implodem, se a teoria não mudou desde os meus estudos, transformam-se num buraco negro.

O Sol é ainda uma estrela nova.

Há suspeitas que em cada sistema solar há um buraco negro. fascina-me a teoria de Einstein sobre os Buracos de Verme (Warm Holes).

Outra ainda é da sobreposição do tempo onde em determinadas alturas abre-se uma fenda e vê-se o passado, parecendo que se está a ter uma visão.

Mas já estou desactualizada em muitas matérias (excepto na tentativa do português em tentar provar que a constante E da velocidade da luz não é constante mas variável)

boa tarde para ti

7:07 da tarde  
Blogger Mina said...

As imagens deixam antever muita emoção e vontade de conhecer o desconhecido. Realmente, o que não dominamos é sempre bem aliciante de descobrir!
Bjs e uma óptima semana para ti:)

2:34 da tarde  
Blogger Teresa Durães said...

as teorias da 4ª dimensão, validadas ou não, são fascinantes!! :)

boa semana também!

4:12 da tarde  
Blogger gaivina said...

Passei aqui um belo momento a aprender na tua página... sempre gostei do espaço!

5:54 da tarde  
Blogger gaivina said...

Não me contenho... Tenho que repetir uma frase escutada pelo Professor Agostinho da Silva quando perguntou a uma criança, no jardim de infância Pestalozzi, o que era para ele uma constelação.
A criança respondeu: "É um arquipélago de estrelas"...

10:55 da tarde  
Blogger naoseiquenome usar said...

Obrigada!
Um beijo.

11:25 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home