sexta-feira, agosto 11, 2006

Windmills of your mind




Zangada com a vida saiu do hotel

Descendo as escadas em direcção à praia

“Nem nas férias há descanso …”

A cabeça latejava de dor,

O turbilhão de ideias e sentimentos

Lembravam-lhe moinhos desfraldados

Ao vento …sem direcção nem rumo

Perdidos num irritante rodopiar de nervos.

O mar chamava-a …guiada pelo som das ondas

Caminhou um pouco pela areia fresca arrefecendo

O espírito cansado de problemas sem tempo,

As arrelias do passado anteviam problemas futuros,

E nem as ondas os podiam levar com a maré.

No meio deste escape …em jeito de fuga,

Para um começar de novo …algo lhe chamou a Atenção

…uma garrafa de champagne e um fulano

Que adivinhando o sentimento lhe disse:

“Wonna drink ?”

“Just join the club …and enjoy the evenning ”

Ali ficaram, partilhando alegrias e tristezas,

Aliviando a alma enquanto do hotel o som

Convidado pelo mar trazia até eles:

“Round
Like a circle in a spiral
Like a wheel within a wheel
Never ending or beginning
On an ever-spinning reel
Like a snowball down a mountain
Or a carnival balloon
Like a carousel thats turning
Running rings around the moon
Like a clock whose hands are sweeping
Past the minutes of its face
And the world is like an apple
Whirling silently in space
Like the circles that you find
In the windmills of your mind”

5 Comments:

Blogger Coisa Efémera said...

Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala...
Porque meus dedos enlaçaram os teus dedos...
Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço...
Porque...
Lindo, simplesmente lindo!

12:43 da manhã  
Blogger Coisa Efémera said...

Acordar com esta música é dançar o dia todo...mergulando, com este som bem alto, para não perder o encanto, das palavras, da música, destas 1ºas horas de um novo dia...
Em contagem decrescente... ou talvez não, depende, de tudo e do nada.
Beijo

11:32 da manhã  
Blogger Debih said...

Oi Luis!

Gostei muito do seu blog, lindos textos! :)
Ando correndo um bocado nos últimos tempos, mas com certeza voltarei logo que possível.

Obrigada pela visita no Vida em Versos. Não tenho conseguido atualizar com freqüência em função de tempo... Trabalho, estudo, clube de serviço... Mas ainda não desisti de publicar textos meus e de meus poetas preferidos. Espero poder voltar 100% a ativa em breve.

Um abraço!

12:23 da tarde  
Blogger EU said...

Engraçado, como por vezes recuperá-mos a nossa calma, com alguém que até ao momento não conhece-mos, mas temos a sensação que sempre esteve ao nosso lado e nos entede como ninguém... melhor que muitas pessoas que convivem connosco diariamente, mas não fazem o minimo de esforço, para nos conhecerem...
Uma companhia agradável, o mar como pano de fundo, e uma champagnhe para aliviar o ânimos, nada melhor...

"And the world is like an apple
Whirling silently in space
Like the circles that you find
In the windmills of your mind” "

Estou a gostar do que encontrei neste espaço...
Beijo com essência de agrado!...

4:19 da tarde  
Anonymous Cicuta said...

Mar, champanhe duas das coisas fundamentais a um com começo ou um meio, ou um durante ou um fim... Gostei de conhecer. Beijo onde mais te apetecer

1:51 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home