sexta-feira, abril 22, 2005

Sentir . . . as lágrimas


Os lábios tremiam, o chão abria-se na sua frente ... as pernas não paravam de caminhar, as lágrimas desenhavam-lhe o rosto, por momentos vacilava, seria sonho transformado em pesadelo,As palavras não paravam de ecoar, "Mas o que é esta merda, Jorge ?".
Sentia-se estúpida, gozada, enxovalhada, o estômago aprofundava a sensação de vazio que crescia. Jorge ainda balbuciou umas palavras que se perderam no olhar esgazeado que trazia. Alguém saiu da casa de banho, os saltos apressados revelavam a sombra feminina que se projectava na cerâmica branca do chão. Sentiu-se escorregar, a face rapidamente encontrou o solo que assustava as paredes que o rodeavam. A dor essa voava-lhe para a alma.

A voz em jeito de aviso da avó misturava-se com o riso das colegas, o mundo acabara ali. Por momentos passou-lhe tudo pela cabeça, sangue, o ódio, a raiva, a vingança. As forças eram para respirar, sentia-se suja, nojo ao lembrar-se dos momentos que tinha partilhado ...quantas teriam sido, filho da p..!
De repente veio-lhe à memória o Zé Luis. Estúpida tinha-lhe negado sempre as suas tentativas, ...até naquela noite em que tinham ido ao concerto juntos. Odiava-se porque ainda se sentia agarrada a quem a atraiçoou.
...

Sentiu um luz forte ofuscar-lhe a vista, tinha-se esquecido de fechar o reposteiro. Acordou com o despertador que esganiçava um besouro de martelar, 7:30 levantou-se foi á janela do seu sexto andar, o dia estava radiante. Nunca mais chove, pensou, isto nem parece o Porto. A meio do iogurte matinal lembrou-se, hoje vou fazer uma surpresa ao Jorge, por via das dúvidas.
No final do dia, dentro do carro junto ao mar estavam os dois a ver as ondas a abraçar os rochedos, o rádio espalhava uma canção pelo ar . . .

8 Comments:

Blogger Lyra said...

Um texto que começa de uma forma quase brutal inclusivé pela imagem e que acaba de uma forma muito bonita. Es um contador de historias Luis! Muito bonito. BOM FIM SEMANA

2:02 da tarde  
Blogger Cassiopeia said...

Gostei tanto... O modo como atravessas todos os estados de espírito desta mulher, desde a desilusão até ao seu inocente acordar, invertendo o percurso do tempo.
Gostei mesmo...
Beijos

3:13 da tarde  
Blogger Selma said...

Nem consegui parar para respirar. Li-te e revi-me no texto, inquieta... desejosa... cheia de dúvidas. As imagens ajudam ainda mais a criar a história.

9:41 da tarde  
Blogger Vera Cymbron said...

Gostei da história, muito mesmo. Tu surpreendes a cada post que escreves...
Jinhos

10:30 da tarde  
Anonymous miss devil said...

oi!
uma historia mm linda.
adorei a frase da ultima imagem.
bom fim de semana jinhos

11:04 da tarde  
Blogger Estrela do mar said...

...tenho estado adoentada...passei para te desejar a continuação de um bom fim de semana...

Um beijinho*.

7:23 da tarde  
Blogger maria santos said...

tu sabes o que sentimos...tu sabes...beijo

12:54 da tarde  
Blogger Mª João said...

Se todas as histórias tivessem assim um final, um percurso invertido...
Gostei muito, Luís D.

Bom fim de semana.
Beijinho.

9:04 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home