segunda-feira, setembro 11, 2006

Ground Zero Aqui e Além


(Este post pode perturbar o seu dia ou a sua noite)

A pergunta mais ouvida nos media desde a semana passada tem sido :

O que mudou desde o 11-Setembro ?

Nada mudou ...em definitivo. A consciência dos actos deploráveis à escala mundial mantêm-se.

Então mas antes de 11 de Setembro não ocorreu um dos maiores massacres que a História do século XX conhece ? Mas pouca ou muito pouca gente se apercebeu do genocídio que durou 100 dias no Rwanda e o número (como uma vida não valesse tanto como N) de mortos ascendeu a mais de 1 milhão. As imagens e videos da BBC falam por si, apesar da morte dos soldados Belgas, mais uma vez e tal como aconteceu recentmente no Libano a ONU protelou uma intervenção armada ...ao ponto de morrerem 1 milhão de seres humanos.

http://news.bbc.co.uk/2/hi/programmes/panorama/3582011.stm

Num dos links um dos autores diz-se possuído pelo diabo e descreve a forma como matou tudo o que se mexia à sua frente. Matou porque apesar de vizinhos eram de etnias diferentes ele Hutu eles Tutsis.

Quando não há justificação para fazer mal, o ser humano usa as crenças, o sobrenatural, o que está para lá de si, o divino para conduzir as massas. A História desde a antiguidade aos dias de hoje está repleta de exemplos ... não só do mundo ocidental, mas também do mundo islâmico ...foi exactamente a sobreposição do sobrenatural (neste caso por Alá) sobre as vidas humanas que viajavam nos aviões e das vidas que se sublimaram nas torres, o mediático … da situação que não existiu no Rwanda.

Mas afinal o que ainda não mudou HOJE, a consciência do valor da vida humana quando tudo e todos fizerem do seu dia a dia uma luta por este objectivo aí vamos ter mais um passo na evolução humana. Porque a vida continua a ter o mesmo valor que tinha há 2000 anos atrás … sobretudo quando o objectivo é “querer mais sem olhar para os lados”.

O Iraque é hoje um país livre? O Afeganistão teve este ano a maior produção de ópio de sempre, o negócio de armas continua longe do fim.

Quando se diz que o Irão está a enriquecer urânio devíamos também denunciar outro país que o está a fazer em escalas bem maiores, o Brasil. Esta dualidade de critérios mina e corrompe consciências.

Aqui também existe um ground zero e continuará a ser enquanto não despertarmos para uma consciência de vida.


Salta hoje daqui destas palavras para o teu último dia, a tua última hora, o teu último segundo …não é escuro, nem claro, é exactamente o que vem a seguir:

21 Comments:

Blogger Sea said...

Pois...
Já não há grande coisa para dizer.
beijos

11:14 da manhã  
Blogger T said...

Ainda bem que há pessoas atentas.

T.

12:08 da tarde  
Blogger yora said...

Todos os dias morrem pessoas inocentes, de forma injusta, por causas que por vezes lhes são alheias. No entanto, finge-se que nada acontece. Talvez porque convém à maioria continuar as suas vidas, enquanto outros lutam por um pedaço de comida, por um espaço para dormir...
Deviamos aproveitar estes dias para homenagear, não só aqueles que morreram nos atentados, mas também os que morrem na guerra do dia-a-dia.
Abraço (=

10:40 da tarde  
Blogger Teresa Durães said...

até que enfim alguém se lembra do Rwanda.

(eu não escrevo post deste carácter e ontem já me irritava a mesma conversa em todo o lado).

Na minha opinião, o que aconteceu a 11 de setembro nos EUA foi fruto de muitos guerras, guerrilhas e outros tais perpétuados pelos EUA que continuam a se sentirem no direito de invadirem países soberanos.

mais não digo

boa noite

12:06 da manhã  
Blogger naoseiquenome usar said...

Todos estes massacres, explorações desenfreadas, produção de armas e drogas, se tornou um deplorável espectáculo e um subserviso negócio!

Onde está e o que é a humanidade?
E Deus, chame-se Alá, Maomé, Buda ou vaca, onde ficou?

Um grande beijo para ti.

12:22 da manhã  
Blogger Belit@h said...

o assunto daria "pano para mangas" de conversa... apenas quero dizer q enquanto existirem pessoas que se incomodam em se questionar, a si e ao mundo, sobre tais assuntos... então já vale a pena acreditar que um dia poderemos ser melhores. É com muitas pedras que se constróiem os muros mais fortes... e temos sp de começar pela primeira pedra. cada um faz a diferença. e pq não começar por ajudar quem se cruza na nossa vida todos os dias, um dia, ou só por um momento?! falhamos mtas vezes e muitas vezes ficamos plo ground zero sem nos apercebermos...
puxa... tou inspirada hoje! =O)
já agora (hehe) "valia a pena pensar nisto"!!!
bjosssss

5:15 da tarde  
Blogger Ana said...

O ser humano tem uma memória estranhamente curta e selectiva...

7:42 da tarde  
Blogger Su said...

vim cá parar...e gostei deste espaço....li..reli.... gostei da lucidez............
voltarei mil vezes

8:33 da tarde  
Blogger Klatuu o embuçado said...

Já não há 11 de setembro... há televisão!

10:25 da tarde  
Blogger Klatuu o embuçado said...

P. S. Ao princípio... pensamos que só o silêncio nos rodeia... mas é avisado não menosprezar o poder da palavra... e o da internet..
Além disso... por detrás da aparente passividade do País... movem-se sombras na sombra... já não é necessário justificarmo-nos com uma guerra em África... basta sabermos que andamos a ser desgovernados por patetas há 3 décadas!... Muda o governo, perdemos direitos, muda o governo, etc... ninguém gosta, claro, e as Forças Armadas e as Polícias também não... Topas?

12:06 da manhã  
Blogger GK said...

Compreendo o que dizes e, obviamente, subscrevo-o. Mas dizer que não mudou nada? É um exagero, não?

Não podes negar que algo mudou com o 11 de Setembro na tua e na minha vida. E com isto quero dizer, na vida de todas as pessoas que NÃO estão em cenários de guerra e onde antes não havia terrorismo.
Dantes não havia medo de sair à rua nesses locais, não havia medo irracional de viajar, de estar num determinado local. Agora há. Já nem estou a falar dos aviões, dos inquéritos idiotas e das restrições inimagináveis até aqui... Parece que todos os terroristas do mundo ganharam coragem para fazer mais e maior!

Eu passei apenas quatro dias em Londres e, nesses QUATRO dias, ouvi DEZENAS de alertas no Metro. Vi centenas de pessoas paradas numa estação à espera de nova ordem (Paradas, mesmo! Sem andar, sem se mexerem!). Tive de abandonar o Metro porque decidiram parar duas linhas devido a uma falha de comunicação. Fiquei parada na linha por causa de um problema com as portas... E isto era TODOS OS DIAS! Alerta PERMANENTE! Lembrança PERMANENTE!

Não mudou nada...? Eu dantes não pensava muitas vezes que um gajo qualquer me podia fazer ir pelos ares numa praça, numa estação, num estádio. Agora penso. Chama-lhe egocentrismo ou egoísmo Mas SÓ AGORA penso...

3:18 da manhã  
Blogger Mina said...

Tens razão, mas há acontecimentos que sendo diários, se tornam parte da nossa rotina televisiva. O resto, é novidade... geralmente das piores.
Beijoca.

10:44 da manhã  
Blogger Estrela do mar said...

...tens razão!...pouco tenho a acrescentar!...talvez o 11 de Setembro de 2001 me tenha marcado muito, porque estava a ver TV quando tudo foi acontecendo...e até arrepia só de pensar o que vi...


Besitos

3:31 da tarde  
Blogger EU said...

Não quero ser repetitiva, por isso subscrevo a YORA, porque é exactamento o tipo de comentário que ia fazer ao teu post...
Mais uma vez em grande, gosto dos temas que abordas!..., continua.
Beijo, na tua alma.

6:32 da tarde  
Anonymous Luar said...

É verdade o que dizes o Ruanda que ninguém fala nem falou na altura foram milhares e milhares que ficaram esquecidos, foram convenientemente abandonados.

8:29 da tarde  
Blogger Bel said...

A verdade é que a nossa memoria nem smepre é justa e as vezes esquecemos coisas importantes. Outras nao nos sairam d amemoria jamais

P.s. se puderes passa la no blog, estou a tentar identificar uma música quam sabe nao conheçes
obrigado
jinhos

8:54 da tarde  
Blogger Ana said...

Temos de ter em mente que os maiores atentados terroristas, não são aqueles nos países mais poderosos, mas naqueles que não se conseguem defender e manter de pé. *

9:31 da tarde  
Blogger Bel said...

Obrigado por ajudares a identificar a música. Ja a tenho em várias versoes confesso :)
jinhos

10:54 da tarde  
Blogger Teresa Durães said...

gk: isso já acontecia com o IRA. simplesmente não estavas lá ou não sabias.

e em espanha acontece com a ETA.

(ou só os terroristas dos EUA são importantes?)

12:20 da manhã  
Blogger Vanda Baltazar said...

Grandes verdades.

...Só que o 11 Setembro foi em directo. Eram americanos, saudaveis, tinham familia, tomavam um pequeno almoço como o nosso...

(ironica)

No Rwuanda a morte e o genocidio não sairam em directo para as ruas.
Nenhum canal parou a emissão para transmitir a morte e o genocidio de um povo. Ninguem se importou...
Afinal tudo se passou em Africa e era... uns contra outros...

(amarga)

Tal como tu dizes e bem " enquanto não despertarmos para uma consciencia de vida" e que todas as vidas tem valor e merecem tempo!


A foto fala por si.


Van

2:39 da tarde  
Blogger Misty said...

... concordo com o que dizes.
Quem dera que fosse só nos locais que mencionas as únicas sedes de violações à dignidade humana...

Mas sabes o que me preocupa ainda mais? é ter a sensação de que mesmo assistindo em directo a tudo (assisti em directo, de facto), ter a sensação de nos estarem a impingir com "verdades" que talvez não o sejam...

A amnipulação da informação é tão ou mais subversiva que as ditaduras...

Beijo, fica bem, Luís D.

7:50 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home