terça-feira, novembro 09, 2004

Amar-te



És por todos banalizado, vulgarizado, de tão usado perdem a tua essência.

Começas num desejo, de dois lábios que se respiram
de duas almas que se fundem,

Não percebo ...como é o amor ?
Diferente ...porquê ?

Sem palavras ...só existe o som do desejo, da tua pele,
Preciso de respirar-te ...só depois eu respiro
Preciso de impregnar-te ...só depois eu te sinto
Preciso de antecipar os teus desejos ...só depois eu estou
Preciso de te olhar à distância ...para te projectar.

Quero estar no meio da multidão e sentir a tua presença
única, o teu olhar quando estamos todos, mas tu estás só para mim
eu sinto-o hoje, como ontem
não tem tempo nem espaço porque é infinito, perfeito na imperfeição,
arrepio glaciar no Verão, ardor flamejante no Inverno
e sei que nada,... nunca ...nem ninguém pode terminar a união de
dois seres que se sublimam de corpo e alma.

Não...não é paixão ...é caminhar devagar, ... sentir os meus passos nos teus,
É desejar-te no decorrer do tempo, na tua ausência, olhar para trás decorridos longos anos e dizer-te
"Amo-te, sente-me em ti", mesmo depois ...quando a juventude já não existe, mas o amor ...esse contínua porque ninguém te quer como eu. Entende que tudo isto ... é continuar a amar e vencer a morte, é perpetuar a tua memória ...sempre.

Apetece-me gritar a todos vocês que banalizam o amor:
Há quanto tempo amas para saber DAR SIGNIFICADO a apenas uma palavra de intemporal dimensão.
Amo-te ...

7 Comments:

Blogger Maria Branco said...

Não grites que banalizaram o amor! Grita esse amor imenso que se vive na tua alma! Grita, vive-o!!
Tens a sorte e o previlégio de o conhecer, de o experimentar.. e querido amigo, isso é o mais importante! Quanto aos outros, um dia talvez percebam.. Um dia talvez o sintam... Desejo que o sintam.. Nesse dia para eles, para quem o sente a vida irá fazer sentido.. Ele é a chave para a felicidade... Um beijo enorme!!

11:57 da tarde  
Blogger carlos said...

Luís

o amor escreve-se, vive-se, respira-se, nunca se banaliza!
(sei do que falo...)

11:41 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Luis, na minha humilde opinião, as pessoas banalizaram a palavra "Amo-te", não o amor. Cada qual ama da forma que pode e oconsegue e nós não os podemos criticar. Existem formas diferentes de sentir o amor, pois as almas são diferentes também. Mas respondendo-te...já amei de várias formas e cada uma delas com o seu significado, mas quando morrer, depois e ver onde errei, depois de ver tudo o que se passa do ouro lado, depois de analisar tudo, então ai sim, se amei poderei-te responder! Beijinho grande e xi apertadinho. Catarina. http://chamaoculta.blogs.sapo.pt

2:35 da tarde  
Blogger Selma said...

Às vezes chego a desacreditar que o amor existe.
Já ouvi dizer amo-te, quando se deveria ter dito "gosto de ti"...
Já ouvi dizer quero fazer amor contigo, quando se deveria ter dito "quero ter sexo contigo"...
Sinto que as pessoas de tanto banalizarem o amor desaprenderam a utilizar a palavra.

5:12 da tarde  
Blogger Luna said...

Não se banaliza, cada um sente o á sua maneira á sua medida. Respira-se, sente-se, vive-se e transforma-se...

10:57 da tarde  
Blogger Gilda said...

Amar-te, é sentir-me presa num colete de forças... porque a minha consciência não me permite prender-te... ao Nós que tanto desejo.

1:22 da manhã  
Blogger amita said...

Puxa, Luis, fiquei sem fôlego depois de ler tão belas palavras. Que bom esse ideal que nada tem de vulgaridade. Um óptimo fim de semana. Bjos

5:46 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home