quarta-feira, novembro 03, 2004

Quanto vale uma vida ?

Princípio inalienável o direito à vida por todos aceite e reconhecido… mas quanto vale uma vida? As notícias boas não são notícia as más vendem - a miséria, a ruína, o drama, a morte, mas afinal quanto vale uma vida ?
Impotente e sem reacção, apenas as palavras servem de consolo ao repórter que vê aquela menina vítima de um terramoto à espera da grua que tarda, e cuja vida se esvai. O automobilista entubado nos cuidados intensivos espera agora um milagre que o traga de novo à vida. Quanto vale uma vida? A saúde está à venda, para o rico e para o pobre, para o novo e para o idoso que se arrasta para comprar um pouco mais de vida.
Sim já pensaste quanto vale, a tua, a minha, a dele ? Porque não sentimos a perda de uma vida como a de muitas? Não valem todas o mesmo ?
Defende a vida como se fosse a obra mais sagrada, vive a vida… sonha mas alcança porque o "sonho comanda a vida" mas se não viveres o momento fica o sonho vai-se a vida. Repara que a vida e a dor que fica na sua ausência é vendida, exposta, de forma diferente....dou-te uma pista sabes quantas pessoas morreram no 11 de Setembro ? Penso que o número não interessa mas todos venderam a notícia, sabes quantas vidas foram tiradas no genocídio do Ruanda ? Porque se releva mais a vida aqui do que ali ? ... Não valem todas o mesmo ?

Luis_Duverge

Ao ler as tuas palavras, Luis, parei para pensar.. Que valor tem a vida? E olhei para a minha, e desfez-se o sorriso que as tuas palavras me trouxeram. Não, mas ela não poderia ser apenas aquilo, então, fui retirando uma a uma as muitas mágoas que a envolvem, o que encontrei por baixo de todas essas camadas, era muito bonito, luminoso. Soube-me a olhar de criança, a um olhar puro e ingénuo que ama as coisas simples da vida. Um olhar que brilha, sorri e que guarda em si toda a esperança do (e no) mundo :

Que valor tem a vida? - Não sei se conseguirei dize-lo aqui, sei que o seu valor é infinitamente grande. Sei que o valor da vida daqueles que amo é ainda maior. Sei que a vida de qualquer ser, tem esse valor, que se traduz em amor e este que se multiplica por todos os que nos rodeiam. Gostaria de acreditar que um dia, dentro de cada vida, esse amor se irá fazer imenso, pela sua própria e por todas as outras vidas. Por todas aquelas que um dia se deram para que acontecesse a nossa própria vida. E que aprendamos a respeitar todas as outras que existem para além de nós.

Sei, que este valor sofre alterações ao longo da vida, momentos há que ele é tão baixo que nos apetece desistir de tudo, de nós, dela…
Mas, o tempo sábio e sem que demos por isso vai diminuindo as diferenças e um amor ainda maior, substitui o valor negativo.
Sei que a importância da vida vai aumentando após a superação das muitas marcas deixadas pela dor e sofrimento, de cada batalha que travamos conosco e com o mundo. Sei que enriquece a cada nova partilha. Sei que o seu valor aumenta a cada aprendizagem...

Sei, que a vida não é fácil, que nem sempre a comprendo, que tantas vezes lhe tenho uma mágoa imensa, contudo sei-me força para vencer as muitas batalhas que travo e para me reconciliar com ela. Sei que os ferimentos dessas batalhas são menos profundos e menos dolorosos porque ao meu lado e de mão dada comigo caminham outras vidas que amo mais a cada dia que passa.
Sei-a uma dádiva só pela oportunidade de partilhar este espaço e este tempo com cada uma delas!

Maria Branco

6 Comments:

Blogger Maria Branco said...

Um beijo enorme Luis! Façamos um brinde à vida.. à de todos os que amamos, à de todos os outros que partilham este tempo este espaço! Aos que um dia deram a sua vida por nós!`À nossa!! Nada de mais precioso existe... Desejo que ela se possa sempre viver em amor!

6:44 da tarde  
Blogger Gilda said...

E já pararam para pensar um bocadinho que realmente somos nós próprios que damos demasiada importância aos pormenores que não são assim tão importantes?
Já pararam para pensar que somos nós que nos vendemos, que nos trocamos tão simplesmente como se de um qualquer objecto se tratasse?
Porque se realmente não "quisessemos" nós próprios comprar e vender a vida, passar-nos-íam ao lado todas as "notícias espectáculo" que alimentam as televisões e pior que isso... alimentam a nossa alma.
Falo por mim, recuso-me simplesmente a ver, a debater a quantidade de mortos aqui e ali, a perna que perderam, ou o braço desfeito, ou o que quer que seja. É muito mais importante e muito mais sublime (sim, sublime) ver-te a ti, a ele, a eles, a tantos e tantas... no bem ou no mal, pessoas que existem, com nome, com expressões faciais, pessoas que estão aqui e além... pessoas que não são vendíveis nem se esquecem e cujo amor jamais se esvai.

12:27 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Gilda, li o teu comentário, embora discorde dele. O problema para mim está...se todos pensassemos no próximo e não só nos que nos rodeiam, seria este Mundo bem melhor! É sem dúvida muito bom ver um sorriso dos que nos rodeiam, mas não será também muito lindo, um sorriso de uma criança que nada tem a ver connosco? Já pensaste nos milhares delas que existem neste Mundo e que sim, têm rosto! Nós é que à boa maneira egoísta lhes fechamos os olhos e passamos ao lado! É triste realmente! Convém ajudar os pequenos, pois eles são as vítimas do egoismo dos "grandes". Se todos ajudassemos, se calhar essas crianças, quando crescessem não seriam egoistas, e mais importante....saberiam o que é o AMOR!!! Porque amor, não se sente só por alguém do sexo oposto que nos atrai, amor sente-se pelos amigos, e por olhares tristes que pedem sofregamente por ajuda!!! Que tal pensarmos nisto também?! Beijo Luis e Gilda!

11:25 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Desculpa Luis, esqueci-me de assinar o post acima. Beijinho da Catarina. http://chamaoculta.blogs.sapo.pt. Ah e...respondi ao teu e-mail!

11:27 da manhã  
Blogger Gilda said...

Pois Catarina, acho que estamos a fazer deste blog um forum, mas penso que o Luis não se deve importar.
De qualquer forma, não me devo ter feito entender (mais uma vez). O que quis dizer foi que prefiro não dar importância demasiada à especulação e concentrar-me SIM nas crianças ou jovens ou adultos que precisem de mim... na vida real, compreendes?
Infelizmente não me esqueço NUNCA que existem milhares ou milhões de seres humanos a precisar do meu apoio, não preciso ver televisão para me recordar disso, mas considero verdadeiramente mais importante estar presente junto dos que consigo alcançar e poder dar-lhes a mão, mesmo sabendo que por vezes não basta essa mão... mas pelo menos será um pequenino conforto. E olha que por vezes uma mão pequenina vale muito mais que um milhão de "penas e lembranças".

7:29 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

best regards, nice info »

8:34 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home