quinta-feira, novembro 04, 2004

Dor

Perder-te foi estar contigo e saber que não estavas presente
foi sentir-me a cair
e sufocar o pensamento
De nada vale mutilares-te se é o corpo
que sente
nada como a dor que cai ...vertiginosa
da alma ausente
Dor é ter de partir ... e decidir
a dor traz o ácido que inibe a dor

Ácido

é a chuva que o vento traz
é o frio que te corta a face
é a palavra que o facto contém
ácido
desfaz o contorno e revela a tua
essência
é o gume da navalha
ácido é o sangue que retorce as veias
é a razão que te faz correr,
é o suor que cai sem te mexeres
ácido é o tempo que antecipa ...o salto
na noite escura a 1000 metros de altura
é saberes que ou decides ou morres.

5 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Mas o àcido não desfaz a alma....! Apesar da tua indiferença, continuarei a visitar-te! Beijo da Catarina. http://chamaoculta.blogs.sapo.pt

1:26 da tarde  
Blogger wind said...

A alma está sempre implícita no corpo.

6:16 da tarde  
Blogger MONALISA said...

"Porque é que este sonho absurdo
a que chamam realidade
não me obedece como os outros
que trago na cabeça?

Eis a grande raiva!
Misturem-na com rosas
E chamem-lhe vida."

José Gomes Ferreira

Obrigada pela visita e palavras no Sítio. Vai passando, estarei por lá - uma vezes mais, outras vezes menos.

10:15 da tarde  
Blogger Inês Leitão said...

Uma alma do avesso.

4:44 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Very nice site! » »

8:03 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home