sexta-feira, janeiro 14, 2005

Atlântida - entre dois mundos

Eu que venho do mar
a ti respondo ...a ti procuro
tanto tempo a navegar
dentro do mar
esquecendo o sabor do ar
sem respirar
memórias de Verão
tempestades de Inverno
de tudo vivi
Venho agora à praia
acordar, relembrar
a tua voz
a tua pele
...
a tua alma
vim-te buscar
trouxe um fato de sereia
para te levar
tenho a Atlântida para te dar
Vens ?


Vivemos em sítios diferentes,
lugares diferentes,
o meu sol nem sequer é igual ao teu,
tão diferentes ...tão iguais
Quiseste submergir comigo,
eu disse-te que tens de aprender a
pensar sem respirar.
Para onde vamos ?
Planar entre dois mundos, o teu e o meu.
Reflexos é o que tu encontras no meu,
Sem palavras, aqui apenas existe sentimento,
sim, o que tu sentes eu sinto de forma reflectida,
Como ?
Alma com alma,
Quando no teu mundo, olhos nos olhos percebes o que te dizem,
isso é o chamado diálogo de almas,
aqui estás no mundo do sentimento,
os teus movimentos reflectem-se no nosso espaço,
os teus sentimentos reflectem-se nas nossas almas.
Sem discussões, sem palavras, o que tu queres nem precisas explicar
porque eu sinto reflectido em mim, e tu recebes a resposta reflectida em ti.
Os outros ? Vamos no seu alcance em direcção à falha de S. Vicente,
é ali a porta da Atlântida, lugar onde só há sentimentos,
um mundo onde não há lugar às palavras.

15 Comments:

Blogger Vera Cymbron said...

Eu deixava-me ir,
Nas portas de ti,
Estas que te mantêm do outro lado,
Este outro parte dos nossos mundos,
Longe das diferenças,
Onde só poderá haver comunhão das nossas almas...
Eu quero ir sim,
Abrir esta distância,
Que me mantém longe do que somos,
Do que sempre poderemos ser,
Tão perto...
Perto do que sempre seremos.
Perto do que já somos...
Eu ia à Atlântida contigo,
À Atlântida dos nossos compassos,
Dos nossos sonhos,
Dos nossos suspiros,
Dos amores que tanto nos fazem vibrar,
Dos desejos reprimidos pelas ondas,
Vamos...

2:22 da tarde  
Blogger Selma said...

A Atlântida parece-me um lugar tão longinquo, tão fantástico... a imagem que me mostraste é essa mesmo. Mas quando se ama a Atlântida pode ser já ali ao virar da esquina ou entre os lençois do quarto...é onde quisermos que toda a beleza, todo o fantástico nos envolva em laços eternos.
A imagem está linda! Beijinhos

8:23 da tarde  
Blogger Gilda said...

Igualzinho às saudades de tanto que ficou por viver...

1:24 da manhã  
Blogger Only Rose said...

Almas gémeas...podem estar longe, mas do longe se pode fazer perto. Beijinhos

8:41 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Luís... simplesmente espectacular. Intensidade muito grande. Força imensa. Impacto interior indiscutível. Encontro e junção de mundos. De almas. De sentimentos...
Imagem muitíssimo adequada.

Beijinho,

Sandra
(http://www.void.weblog.com.pt)

10:50 da manhã  
Blogger M.C. said...

acho-me no mundo tão meu distante de um mundo tão dele...
reconheci-me em cada lugar teu em cada palavra tua. Acontece sempre!
O mundo que não é perfeito, o mundo cheio de mundos de outros...
E apesar do amor ás vezes existem mundos imensos que separam as pessoas...eu tenho um mundo imenso a separar-me...E é na incerteza do querer ir ou ficar que vou vivendo...uns dias...noutros apenas a minha presença me informa que continuo por cá...
Um dia destes vou deixar de acreditar no amor, nos outros...um dia destes....

12:32 da tarde  
Blogger Águas de Março said...

De facto, com um chamado suave mas intenso como esse, quem resistiria? Sobretudo, não é o amor acima das palavras aquele por que todos ansiamos?
A imagem é excelente; a meu ver, a única possível.
Beijos, boa semana!

11:21 da tarde  
Blogger Estrela do mar said...

...Luis.. gostei muito de ler esta "Atlântida"...cheia de carga emocional...cheia de amor...
E que belo enquandramento com a foto.
Tem uma boa semana.
um beijinho*.

1:32 da tarde  
Blogger Ana said...

gostei gostei gostei
beijinhos

2:34 da tarde  
Blogger Estrela do mar said...

...acompanhavas-nos nesta ilusão?...

Beijinho*

3:40 da tarde  
Blogger Maria Branco said...

Iria sem pensar duas vezes...
para esse mundo onde as palavras são desnecessárias...
Belissimo!
Beijos

11:48 da manhã  
Blogger Å®t_Øf_£övë said...

É bom termos amor para dar,e sentirmos identificados com o ser amado.
Abraço.

4:16 da tarde  
Blogger Caliope said...

Escamas com pele......
Guelras com unhas.....
Só num mundo paralelo a co-existência destas duas realidades....
Está lindo :-)

1:40 da manhã  
Anonymous Luar said...

O Mar é uma das coisas mais importantes para mim, acho que nunca conseguiria viver longe dele, mas preciso do calor por isso sol, mar, areia e calor está tudo bem! Deve ter vindo do passado...
Eu sei que um dia lá irei parar a essa tua Atlantida ou a uma minha mas sei que vou... Está no meu sangue!

8:49 da tarde  
Blogger Cris said...

caminhando por estas palavras, consegui vislumbrar estar palavras.

um beijinho
C.

9:58 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home