quinta-feira, junho 23, 2005

Fora do Mundo


Tudo começa ... no primeiro dia.
Depois seguem-se as alegrias e as tristezas até que tudo acaba ... aqui, em nós.
Pelo caminho a estrada contém marcos onde os anos se inscrevem, os sentimentos se misturam,
e a vida corre umas vezes suave e leve, outras de uma forma exausta, obecessiva,
onde a concentração dá lugar a erros ... estúpidos que no limite podem não ter retorno.
Mas se corre ...porque páras ?
Ou então o que te faz correr ?
Hoje o tempo é mais lesto e silencioso ... hoje não ouves o tic-tac dos relógios,
nem as badaladas nos campanários ... quando ouves ... é porque descansas.
Estás fora do mundo.
Pois é por aqui que vou ficar ... sentir a água a escorrer, descansar debaixo da queda de água
na entrada da gruta "Fora do mundo". Os salpicos permitem um sono refrescante
como se cada gota me lavásse a alma e retemperasse o corpo. O calor não conhece este sítio
e a luz tenta penetrar por entre a água em queda criando um ambiente vaporoso onde ar e água
se abraçam em tons de azul esverdeado e nos transportam para "Fora do mundo".

7 Comments:

Blogger Misty said...

Luís D,

Quase que acertavas, lá no meu SLE...quase...
...erros estúpidos que, no limite, podem não ter retorno, dizes tu, e bem...tudo se resume a isto...

Como é que se vai para "fora do mundo"?... fazia-me jeito uma semanita, em regime de pensão completa...haverá vagas ainda?...

Um beijinho e obrigada pela força, tá?

8:35 da manhã  
Blogger Lyra said...

"
Tudo começa ... no primeiro dia.
Depois seguem-se as alegrias e as tristezas até que tudo acaba ... aqui, em nós" pelo meio há o desassossego da alma. tantas vezes. e o silêncio. é necessário de vez em quando. não sei reconstruir-me (renascer) de outra forma. e ando sempre a renascer.

11:07 da tarde  
Blogger Vera Cymbron said...

Obrigada pelas palavras em exagero...vou saber que história é essa...(tou a brincar)
Ainda bem que gostaste da história...é um excerto de algo que ando a escrever...
Jinhos

6:30 da tarde  
Anonymous Maria do Céu said...

Que bonita combinação entre a imagem e o texto, gostei. Bem haja, Maria do Céu.

9:50 da tarde  
Blogger Cassiopeia said...

A água é um dos meus elementos preferidos. (Acho que já te disse isto...) Mergulho sempre.
Beijo (se eu o adjectivar de 'molhado' não fica lá muito bem, pois não?)

3:46 da tarde  
Blogger soldeinverno said...

a vida é mesmo assim, começa...acaba, uns dias melhores, outros piores, com obstáculos...sem obstáculos, por vezes é bom observar de fora o mundo, como se fossemos leves partículas no ar circundando a terra, observando a vida num silêncio absurdo e indescritível... adoro ler-te... respondi ao teu desafio... espero-te no meu canto... jinhuz e Volto sempre...

4:33 da tarde  
Blogger isa xana said...

Voltei da minha ausência e vim visitar-te:)

Devo dizer-te que ten uma bela conjugação da imagens com o texto.

No nosso caminho cruzam-se outras vidas, outras histórias e a nosso própria por vezes parece outra...

beijito

9:01 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home