sexta-feira, outubro 13, 2006

Liberdade de Expressão



Foi após o 25 de Abril de 1974 que passámos a poder criticar de uma forma livre sobretudo o poder, as instituições, as ideias fosse de quem fosse. A imprensa que à data tinha meia dúzia de jornais e algumas revistas conheceu uma explosão fantástica. Basta olhar para qualquer quiosque de rua e vemos as revistas como papel de decoração interior e exterior. Alguns grupos económicos anteciparam este boom dos média não só pelo interesse económico mas porque sabiam que constituiriam um 4º poder cuja “força” se exerce de um modo directo ou indirecto, mas que hoje qualquer instituição tem medo, A palavra exacta é medo, porque as reacções aos media seja pelo governo, pelos tribunais e altos magistrados (veja-se o caso do envelope 9, o caso da Casa Pia, a Universidade Moderna, e não se esqueçam do caso das facturas falsas) são reacções no mínimo “cautelosas”. A cobertura televisiva, a forma como as notícias são colocadas, umas verdadeiras, outras manipuladas, o facto é que hoje ninguém discute o poder da imprensa.

Podemos dizer que todos os dias somos poluídos com tanta informação. O Spam informativo existe e cria no cidadão um grau de abstracção incremental sobre os factos mais graves. Falamos na morte, na doença, na pobreza física e espiritual à distância que o nosso televisor está do mundo.

Contudo a pergunta que surge naturalmente é quem controla ou fiscaliza os media ? Seja em Portugal, na Europa ou na Austrália quem fiscaliza quem produz a informação ? O conceito criado nas novas sociedades neoliberais adquire a imagem de Regulador, e neste caso seria a Alta Autoridade para a Comunicação Social. Deixo aqui para Vocês dizerem quantas intervenções vocês se lembram.

Nós que escrevemos nos Blogs estamos a crescer de uma forma exponencial, locais há que antecipam notícias, mesmo antes de elas saírem nos media. Aos poucos está a nascer uma nova forma de expressão individual, uma nova liberdade de expressão. A credibilidade vai aumentando à medida que os factos confirmam as informações veiculadas no mundo Blog. Também existem casos de falsos testemunhos que começam agora a ser julgados por difamação.

Aqui fica uma visão do mundo blog em tempo real

http://brainoff.com/geoblog/

Vejamos agora a seguinte realidade, os bens essenciais a todos nós, como seja a água, as fontes de energia ( electricidade, gás, etc) estão a ser privatizadas, esta semana calhou à Galp, daqui a uns tempos será a REN - Rede Eléctrica Nacional, e assim vão os anéis e os dedos. No caso do mundo da Informação existe um facto não menos interessante. Chegámos ao ponto em que as empresas vendem tempo (os operadores de telemóveis), e as pessoas gastam parte das suas economias para poder falar, para terem uma liberdade condicionada de expressão. Entretanto com a Internet apareceu o VOIP –voz sobre IP, e já se consegue contornar um pouco a situação, mas a pergunta surge de novo quem controla a Internet ? Ninguém, à primeira vista, só que vejamos a questão por um outro prisma. Refazendo a questão, por onde passa a maior parte da informação na Internet, a quem pertencem os servidores de alto débito, aqueles que caso falhem podem por Países ou Continentes sem Internet.

- A quem pertencem? A companhias americanas, algumas sedeadas na Europa. Então quer dizer que grande parte da informação passa por lá e eles podem … ?

- Claro se quiserem.

- Então estamos a ficar como que dependentes. Como vês não é só aí, mas também.

- Aqui fica um link para Vocês poderem confirmar, http://www.caida.org/analysis/topology/as_core_network/


Contudo não nos esqueçamos que a Liberdade de Expressão mata, sobretudo nas sociedades mais repressoras, em África, no Médio Oriente, na Ásia e também na Europa.


Anna Politkovskaya

Antes de terminar gostaria de chamar a Vossa atenção para o comentário anónimo

do post anterior. Quando lerem, ouvirem algo do género, já sabem estão a querer controlar a Vossa liberdade de expressão.

10 Comments:

Blogger Teresa Durães said...

Primeiro: o meu aplauso pelo post!!!!

Segundo: Quando se deu o caso do Prestige os espanhóis disseram (e eu ia morrendo de incrédula) que em Portugal há liberdade de imprensa (que não há, mas ao que aparenta, há mais)

Terceiro: a Yahoo ajudou na China a apanhar (não sei quem, não recordo, o meu marido sabe melhor dessas coisas) através da informação da internet

A Internet é controlada, não haja dúvida.

(um pequeno aparte, Casa Pia e Moderna são, o que se chama em bom português, "Uma montanha que pariu um rato". Os média foram controlados e os que serão presos - Casa Pia - são os bodes espiatórios)

Eu discuto o poder da imprensa (o marido dorme se não ele dizia exactamente quem controla o quê)

E assim que a net estiver a ameaçar como poder desaparece.

Boa noite, é tarde, se estiver meio baralhado, é mesmo por isso :))

5:02 da manhã  
Blogger Mina said...

O 25 de Abril não foi sinónimo de maior liberdade em todos os aspectos da sociedade. Muita coisa ficou mais dissimulada, mas a censura continua a imperar em quase todas as áreas.
Gostei do post, faz pensar em muita coisa.
Bom fim de semana.

11:30 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

A liberdade de expressão não pode ser desrespeitosa.
Há limites para tudo, nada é absoluto.Nem pode ser.
E tratar levianamente assuntos com tratamento em sede própria em sedes de puro lazer, está quase lá...

Boa noite!

9:48 da tarde  
Blogger Su said...

ops até aqui já chegaram os anónimos ..gentinha baixinha...tipo jacaré..........mas passando em frente que o desprezo nestes casos é a melhor respota

belo post
cheio de corencia e lucidez liberdade? de expressão? existe?:)
gostei de ler.te
jocas maradas

7:51 da tarde  
Blogger Sea said...

eu acho que não somos assim tão livres para nos expressarmos, ainda que o façamos, há sempre consequências. Sempre.
Beijo

10:20 da manhã  
Blogger Lilliput said...

a liberdade de expressão existe, mas o dinheiro continua a ser dono e senhor, e qt a isso pouco pdemos fazer, quando são os proprios proprietarios das palavras a vendelas, para enfrentar um imperio é preciso coragem, é preciso lutar... e quantas pessoas estão dispostas a fazêlo?
Se nos deixamos manipular pela imprensa, é porque no nosso interior não temos coragem de descobrir a verdade pois isso iria exigir uma atitude, uma tomada deposição, seja ela altruista e de valor, ou cobarde, e de fraqueza.

2:07 da tarde  
Blogger inBluesY said...

o que ainda não entendi devidamente foi o pq do medo de certas notariedades com os blogs ... não entendo, medos e perigos não entendo expressões como que presenciei de uma distinta senhora autora utilizar a expressão de "meras masturbações mentais" quando referia os blogs... se para a dita é algo menor então pq de mencionar ?

o que considero curioso é que na internet não existem anónimos, utilizamos uma capa et voilá.

[e desc mas não resisti]

11:28 da tarde  
Blogger karvoeiro said...

esses anónimos criticam mas aposto que têm os seus blogues... criticar é um passatempo como outro qualquer.
O homem precisa de ocupar o tempo seja de forma séria, cínica ou na parvalheira... e isso vai para além do do fenómeno blog... até breve...

12:12 da manhã  
Anonymous Luar said...

os anónimos algo que também surgiu com o 25 de abril assim como um certo tipo de coisa (a que alguns chamam de) liberdade e outras coisas que tais basta olhar para trás e para o presente. Na sociedade apenas se "puxaram" as cadeiras de uns para outros lá se sentarem mas como nunca lá tinham estado sentados ou sabiam como se comportar sentados nelas... deu no que deu! Existe um ditado antigo mas eu não o vou dizer, não merece a pena.

9:07 da manhã  
Blogger Isabel said...

Mais uma vez um tiro certeiro. Eu sempre me senti controlada, e nunca soube o que era liberdade de expressão. Tenho pai maravilhoso e termendamente realista que me mostrou que esse controle existe escondido e disfarçado, muitas vezes disfarçado de liberdade.
Como foi no 25 de Abril que deu a liberdade a quem a não tinha até ai mas tirou aos outros. Passou a ser politicamente incorrecto ser contra a revolução e quem o foi teve de pagar por isso. Curiosa essa forma de liberdade! Eu que amo a liberdade queria uma liberdade real e para todos, e não a liberdade do politicamente correcto.
Desde miuda estive vezes sem conta contra a maré e vezes sem conta tive de lutar com unhas e dentes por isso, até pelas minhas notas. Numa altura em que deveriamos viver num pais livre a realidade é que se falava de politica de forma totalmente parcial não permitindo qualquer opinião contrária. Defendi varias vezes notas em conselho escolar por não partilhar das ideias socialmente bem aceites na altura. Liberdade de expressão nunca soube o que era, confesso. Só tive essa liberdade em casa, onde senpre me apoiaram a lutar contra tudo e todos, assumindo as consequências inerentes, para defender as minhas opiniões.
No meu trabalho sei que o que estou agora a fazer é controlado, na internet, nos movimentos bancários, nas escutas telefónicas...vivemos na era do controle generalizado.
Controlem o que quiserem pensarei sempre o mesmo, direi sempre o mesmo, farei sempre o mesmo... mas por favor não lhe chamem liberdade.
Agora para o anónimo visitante comentador do post anterior ainda bem que falas nisso pois dá-me possibilidade de responder:
Que grande lata senhor ou senhora anónimo ou anónima! "falar de blogs de gente anónima, aparentemente de pura divesão e /ou lamúria."
O que foi o seu comentário?
Anónimo.
Sem nenhum fim senão talvez pura diversão ou lamúria.
Ou não saberá em que ocupar o tempo.
Ou não sabera escrever nem construir nada e usa as forças destruindo o que os outros fazem.
Saiba que um blog diga o que diga é uma voz e por traz de uma voz há uma pessoa... mesmo no seu caso por traz desse seu comentário anónimo de propósito desconhecido há uma voz e uma pessoa, que teve a sorte de ter uma resposta e que tem a possibilidade de emendar um erro.
para o comentador/a anonimo/a os meus cumprimentos.
Para ti os parabens por mais um excelente texto.

Isabel

3:13 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home